A Bíblia Sagrada, o livro de Deus, trata sobre a prestação de contas que Deus já realizou e ainda realizará em relação as ações praticadas por seres por Ele criados. Estamos nos referindo, aos Juízos de Deus. E nesse vídeo, falaremos sobre os Oito Juízos de Deus.

No livro dos Salmos capítulo 1 e o versículos 5 e 6, o salmista declara: “Por isso os ímpios não subsistirão no juízo, nem os pecadores na congregação dos justos. Porque o SENHOR conhece o caminho dos justos; porém o caminho dos ímpios perecerá.”

Deus ama o pecador, mas, Ele não tolera o pecado. Pois o pecado, também conhecido por iniquidade, afronta a sua eterna santidade. É por causa dessa iniquidade que toda a humanidade veio a se afastar de Deus. Encontramos no livro do profeta Isaías 59.2, a seguinte expressão de Deus: “Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que não vos ouça”. O apóstolo dos gentios, Paulo, para a igreja em Roma, escreveu na epístola aos Romanos no capítulo 3.23: “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus”. Tudo isso, por causa do pecado.

O caminho dos ímpios perecerá, devido ao julgamento de Deus, que tem como objetivo peneirar, retirar o mal do meio. Os ímpios não subsistirão no juízo de Deus, porque eles são comparados como à palha, que não resiste ao fogo. O juízo de Deus será como fogo.

1. O primeiro dos oito JUÍZOS DE DEUS aconteceu ainda no céu. Contra LÚCIFER, que se rebelou contra o próprio Deus, querendo ser maior que o Senhor e foi expulso do Céu (habitação) de Deus se tornando Satanás (adversário de Deus), conforme Isaías 14.12-14, que diz: “Como caíste desde o céu, ó estrela da manhã, filha da alva! Como foste cortado por terra, tu que debilitavas as nações! E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte. Subirei sobre as alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo.”

Quando Jesus conversava com os seus discípulos, Ele disse que havia sido testemunha ao contemplar a queda de Satanás ainda no Céu. Em Lucas 10.18, narra Jesus: “E disse-lhes: Eu via Satanás, como raio, cair do céu.”. Jesus é a fiel testemunha da derrota de Satanás. E o julgamento de Deus foi rápido como um raio.

2. O segundo JUIZO de Deus foi contra ADÃO e EVA, nossos primeiros pais, quando estavam no jardim do Éden. Eles deixaram de obedecerem a voz de Deus e deram ouvidos a voz da serpente que na ocasião era usada pelo próprio Satanás, que havia sido expulso do Céu e agora estava na terra. A serpente enganou Eva mandando que ela comesse do fruto o qual Deus havia proibido. Em Gênesis 3.4,5, lemos: “Então a serpente disse à mulher: Certamente não morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal.” Eva comeu e levou ao marido Adão, o qual também comeu e tiveram a sentença de Deus, o julgamento de suas ações. Genesis 3.17, declara Deus: “E a Adão disse: Porquanto deste ouvidos à voz de tua mulher, e comeste da árvore de que te ordenei, dizendo: Não comerás dela, maldita é a terra por causa de ti; com dor comerás dela todos os dias da tua vida.” Após a sentença de Deus sobre a vida daquele casal, Deus os expulsou de dentro do melhor lugar do mundo, o Éden, Gênesis 3.23,24: “O SENHOR Deus, pois, o lançou fora do jardim do Éden, para lavrar a terra de que fora tomado. E havendo lançado fora o homem, pôs querubins ao oriente do jardim do Éden, e uma espada inflamada que andava ao redor, para guardar o caminho da árvore da vida”.

3. O terceiro JUIZO de Deus ocorreu na época de Noé, um dos grandes patriarcas, que sob a Graça de Deus conseguiu salvar sua vida e de toda a sua família ao construírem uma arca, conforme a determinação do Senhor. Por causa do pecado, Deus abriu as torneiras do céu e causou uma inundação extraordinária, chamada de Dilúvio, sobre a terra para consumir toda a carne, por causa da iniquidade dos homens da época. Gênesis 6. 5 e 17, a Bíblia declara: “E viu o SENHOR que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente. Porque eis que eu trago um dilúvio de águas sobre a terra, para desfazer toda a carne em que há espírito de vida debaixo dos céus; tudo o que há na terra expirará”. E assim, Deus realizou o seu julgamento na terra.

4. Já o quarto JUIZO de Deus foi contra as cidades de SODOMA e GOMORRA. Os pecados do povo dessas cidades subiram até a presença de Deus, a ponto de Deus executar Juízos de fogo contra elas. Em Gênesis 19.24, lemos: “Então o SENHOR fez chover enxofre e fogo, do SENHOR desde os céus, sobre Sodoma e Gomorra”. Na cidade de Sodoma morava um sobrinho de Abraão, chamado de Ló. Mas, após os anjos de Deus o tirarem de dentro de Sodoma, juntamente com a sua família, Deus executou o seu juízo com fogo do céu. Em Lucas 17.29 e 30, Jesus fala a respeito de Sodoma: “Mas no dia em que Ló saiu de Sodoma choveu do céu fogo e enxofre, e os consumiu a todos. Assim será no dia em que o Filho do homem se há de manifestar.” 

Ainda a respeito do julgamento de Deus contra as cidades de Sodoma e Gomorra, a Bíblia enfatiza que Deus a colocou como exemplo de que Ele não tolera a iniquidade, e que um dia, não muito distante, toda a humanidade terá que prestar contas de seus atos a Deus. 2° Pedro 2. 6 e 7: “E condenou à destruição as cidades de Sodoma e Gomorra, reduzindo-as a cinza, e pondo-as para exemplo aos que vivessem impiamente; E livrou o justo Ló, enfadado da vida dissoluta dos homens abomináveis”. Na última epistola da Bíblia, a de Judas no capítulo 1 e versículo 7, escreveu: “Assim como Sodoma e Gomorra, e as cidades circunvizinhas, que, havendo-se entregue à fornicação como aqueles, e ido após outra carne, foram postas por exemplo, sofrendo a pena do fogo eterno”.

5. O quinto JUIZO de Deus foi na morte dos primogênitos egípcios, quando o povo hebreu ainda era escravo no Egito. Deus levantou um libertador chamado Moisés, para que guiasse o povo do Egito até Canaã, a terra que Deus havia prometido aos descendentes de Abraão. O faraó da época, não permitiu e o Senhor Deus executou a décima praga com a morte de todos os primogênitos, desde os animais até os servos, inclusive o filho do próprio faraó. Houve grande comoção no Egito quando por fim, após muita insistência, faraó concordou em deixar o povo sair. O registro bíblico está em Êxodo 12.29: “E aconteceu, à meia noite, que o SENHOR feriu a todos os primogênitos na terra do Egito, desde o primogênito de Faraó, que se sentava em seu trono, até ao primogênito do cativo que estava no cárcere, e todos os primogênitos dos animais.”

Todos os primogênitos dos egípcios morreram, entretanto, todos os meninos e suas famílias israelitas se salvaram, porque obedeceram a ordem de Deus e aspergiram o sangue do cordeiro nos umbrais da porta de suas casas. Já no portal da casa dos egípcios não haviam o sinal, e por isso morreram. Assim começou a história da redenção do homem, por intermédio do sangue de Jesus, o Cordeiro de Deus, se tornando o tema central da Bíblia.

6. O SEXTO JUIZO É O DA GRANDE TRIBULAÇÃO – Será uma enorme aflição que se dará após o arrebatamento da Igreja do Senhor Jesus para os que aqui ficarem e recebem o sinal da besta. Esse juízo será realizado por Jesus na abertura dos sete selos no final da Grande Tribulação. Em Apocalipse 6.12 e 13, João teve a visão desse terrível dia: “E, havendo aberto o sexto selo, olhei, e eis que houve um grande tremor de terra; e o sol tornou-se negro como saco de cilício, e a lua tornou-se como sangue; E as estrelas do céu caíram sobre a terra, como quando a figueira lança de si os seus figos verdes, abalada por um vento forte”. Nesse dia, todos os homens que não tem o sinal de Deus, que desprezaram a Graça de Deus revelada em Jesus, estarão enfrentando esse juízo. Apocalipse 9. 3 à 6, destaca: “E da fumaça vieram gafanhotos sobre a terra; e foi-lhes dado poder, como o poder que têm os escorpiões da terra. E foi-lhes dito que não fizessem dano à erva da terra, nem a verdura alguma, nem a árvore alguma, mas somente aos homens que não têm nas suas testas o sinal de Deus. E foi-lhes permitido, não que os matassem, mas que por cinco meses os atormentassem; e o seu tormento era semelhante ao tormento do escorpião, quando fere o homem. E naqueles dias os homens buscarão a morte, e não a acharão; e desejarão morrer, e a morte fugirá deles”. Em Mateus 24.21 e 29, quando Jesus conversava com os seus discípulos e indagado a respeito do fim do mundo ele declarou: “Porque haverá então grande aflição, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco há de haver. E, logo depois da aflição daqueles dias, o sol escurecerá, e a lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu, e as potências dos céus serão abaladas.”

7. O sétimo JUIZO será o JULGAMENTO DAS NAÇOES. Esse juízo ocorrerá na terra e no começo do milênio. Será conduzido por Jesus, conforme Atos 17.31, que diz: “Porquanto tem determinado um dia em que com justiça há de julgar o mundo, por meio do homem que destinou; e disso deu certeza a todos, ressuscitando-o dentre os mortos”.

Esse julgamento se dará no Vale de Josafá, na grande planície de Megido, regiões do Monte das Oliveiras e Moriá. E todos os que sobreviveram a Grande Tribulação e a grande Batalha do Amargedom estarão presentes para o Juízo das Nações. Deus designou seu filho Jesus Cristo para julgar com juízo as nações. E Ele estará acompanhado de anjos, conforme Mateus 25. 31 à 33: “E quando o Filho do homem vier em sua glória, e todos os santos anjos com ele, então se assentará no trono da sua glória; E todas as nações serão reunidas diante dele, e apartará uns dos outros, como o pastor aparta dos bodes as ovelhas; E porá as ovelhas à sua direita, mas os bodes à esquerda”. À direita de Jesus estará as ovelhas, que são aqueles que creram e aceitaram o sacrifício de Jesus na terra. Já a esquerda será reservada para os ímpios, blasfemadores representando a figura de um bode. Todas as nações, povos, raças e judeus serão avaliados e julgados. Naquele dia, Jesus julgará todos os grandes líderes mundiais que em nome de suas nações, deram tratamento desumano a nação de Israel. Nações que oprimiram, perseguiram e mataram o povo judeu. Ninguém escapará aos olhos do grande juiz Jesus Cristo. Em Zacarias 14.3, está escrito: “E o SENHOR sairá, e pelejará contra estas nações, como pelejou, sim, no dia da batalha”.

8. E o oitavo e último JUIZO será o JUÍZO FINAL – É o último ato de julgamento solene que Deus pronunciará no fim do mundo. Onde, desde Adão, até o último ser humano nascido na terra e sem possuir o nome escrito no livro de Deus, prestará contas ao Senhor, conforme Apocalipse 20.11 à 15: “E vi um grande trono branco, e o que estava assentado sobre ele, de cuja presença fugiu a terra e o céu; e não se achou lugar para eles. E vi os mortos, grandes e pequenos, que estavam diante de Deus, e abriram-se os livros; e abriu-se outro livro, que é o da vida. E os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras. E deu o mar os mortos que nele havia; e a morte e o inferno deram os mortos que neles havia; e foram julgados cada um segundo as suas obras. E a morte e o inferno foram lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte. E aquele que não foi achado escrito no livro da vida foi lançado no lago de fogo”.

Todos esses juízos divinos que já aconteceram na terra, Deus deixou para servir de exemplo, de que ele não tolera a rebelião e a insistência do homem em se manter no pecado, o qual afronta a santidade do Criador. Em 2° Pedro 2. 4 à 10, está escrito: “Porque, se Deus não perdoou aos anjos que pecaram, mas, havendo-os lançado no inferno, os entregou às cadeias da escuridão, ficando reservados para o juízo; E não perdoou ao mundo antigo, mas guardou a Noé, pregoeiro da justiça, com mais sete pessoas, ao trazer o dilúvio sobre o mundo dos ímpios; E condenou à destruição as cidades de Sodoma e Gomorra, reduzindo-as a cinza, e pondo-as para exemplo aos que vivessem impiamente; E livrou o justo Ló, enfadado da vida dissoluta dos homens abomináveis (Porque este justo, habitando entre eles, afligia todos os dias a sua alma justa, vendo e ouvindo sobre as suas obras injustas); Assim, sabe o Senhor livrar da tentação os piedosos, e reservar os injustos para o dia do juízo, para serem castigados; Mas principalmente aqueles que segundo a carne andam em concupiscências de imundícia, e desprezam as autoridades; atrevidos, obstinados, não receando blasfemar das dignidades”;

Enquanto é hoje, e você tem oportunidade, faça a sua decisão e compromisso com Jesus. Se ouvir a voz de Deus, através do Espirito Santo, não endureça o coração, entregue sua vida a Ele, e guarde os seus mandamentos. Quem tem Jesus, tem a vida eterna. João 3.36: “Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece.”

Que Deus abençoe você e sua família e até a próxima mensagem!